Mitigando erros na escolha da embalagem

Da proteção do produto à atração do cliente as embalagens têm funções cruciais nas vendas, armazenamento e transporte. Cada uma de suas características, segurança, design, tecnologia, resistência e vida útil, devem ser considerados na hora de selecionar a melhor opção e esta é a opção que entrega, ao cliente, o maior valor agregado[1]. Estamos passando por um momento de buscas por menores custos e muitas vezes não é contabilizado o risco que o produto e a marca podem estar expostos.

 

Conheça o produto a ser envasado

Obrigatoriamente a escolha da embalagem passa por avaliação técnica[2], levando-se em consideração se o produto entrará na cadeia de fornecimento para o setor químico, farmacêutico ou, alimentício, considerado perigoso ou não. Cada setor possui regulamentações próprias que devem ser conhecidas em sua totalidade, permitindo, deste modo, a busca de embalagem   que seja capaz de manter as características originais do produto embalado, entregando ao cliente o que ele entende por qualidade do seu produto.

 

Defina a relevância da embalagem

A embalagem reflete aquilo que está dentro dela. Por este motivo, a embalagem deve ser cuidadosamente selecionada, porque irá facilitar a venda, manuseio e uso do produto envasado. Também assegura a integridade física da mercadoria, protegendo o produto em toda a cadeia.

 

O que deve ser observado

O design é fator relevante, já que é responsável pela apresentação. A observação e conhecimento sobre os materiais são empregados na fabricação é igualmente importante, uma vez que podem trazer economia nos custos do produto, aumentar a vida útil (shelf life), reduzindo possibilidade de contaminação do produto envasado por metais pesados, corantes ou outros. É importante que, ao desenvolver uma embalagem,  estes sejam considerados.

Se o produto a ser envasado possuir classificação perigosa, de acordo com os critérios definidos pela ONU, embalagem adequada deve ser selecionada seguindo os padrões definidos para o modal a ser transportado. É fundamental a participação da área técnica neste desenvolvimento, pois questões relacionadas à compatibilidade no transporte e compatibilidade química devem ser consideradas.

Fator importante na escolha da embalagem é a qualificação do fabricante, que deve ser realizada com o objetivo de conhecer as instalações, os processos de fabricação e a adequação da empresa às normas vigentes, tanto das certificadoras para transporte como ANVISA, FSSC 22000, ISO 9001, certificados válidos de             não migração de elementos químicos para o produto embalado e certificados de controle microbiológico das embalagens, entre outras.

Se seu produto tiver classificação perigosa, será obrigatório à apresentação dos certificados de homologação, emitido pelo órgão responsável pelo controle do modal terrestre, marítimo ou aéreo. Se o produto também entrar na cadeia de alimentos, é obrigatória a apresentação de um laudo atestando o atendimento às legislações ANVISA, bem como é recomendado exigir o controle do ar ambiente e comprimido, controle de alergênicos e controle integrado de pragas da área industrial. A certificação FSSC 22000 (Food Safety System Certification) pode ser exigida, pois possui reconhecimento internacional, sendo pré-requisito para fornecimento a grandes marcas.

 

Ricardo Augusto Camini

Supervisor da Qualidade, Laboratório e Meio Ambiente

[1] Valor Agregado: o que se percebe como de grande valor, aquilo que nos dá a percepção de superar a expectativa. O exemplo mais fácil, em embalagens é uma tampa com selo de indução. Ao abrir a tampa o cliente vê o selo fechando o bocal. Terá que abrir o selo. A sensação é de segurança, inviolabilidade, produto íntegro, intocado.
[2] A Newsul tem departamento técnico para aconselhamento na escolha da embalagem adequada ao produto.